ic_fluent_arrow_reply_24_filledCreated with Sketch.
Voltar
Sobre
Conferência da Presidência “Lançamento do Programa Europa Criativa”, 17 – 18 Junho, em Lisboa e online

A Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia, em colaboração com a Comissão Europeia, irá promover uma conferência para lançar o novo Programa Europa Criativa nos dias 17 e 18 de Junho a partir do Mosteiro dos Jerónimos e do Centro Cultural de Belém em Lisboa.

O lançamento do novo programa para 2021-2027, com um orçamento reforçado de 2,5 mil milhões de euros, é um momento chave para mobilizar o financiamento disponível para o tão necessário relançamento dos Sectores Cultural e Criativo Europeus.

A conferência apresentará as principais novidades do Programa Europa Criativa e explorará as suas sinergias com outros instrumentos de financiamento europeus. Peritos, profissionais e representantes de projetos de alto impacto trarão os seus conhecimentos para inspirar a forma de realizar a visão e os objetivos para este novo ciclo.

Serão iniciadas discussões estratégicas sobre como tornar a indústria audiovisual mais ecológica e a cooperação transfronteiriça mais compatível com os objetivos de sustentabilidade ambiental, bem como traduzir os resultados passados para moldar a futura abordagem sectorial à música.

ic_fluent_arrow_reply_24_filledCreated with Sketch.
Voltar
Programa
  • DIa 1
    17 de Junho 2021
  • DIa 2
    18 de Junho 2021

Sessão de Abertura

Ana Paula Zacarias, Secretária de Estado para os Assuntos Europeus,

Sabine Verheyen, Membro do Parlamento Europeu e presidente da Comissão da
Cultura e Educação;

Thierry Breton, Comissário Europeu para o Mercado Interno;

Mariya Gabriel, Comissária Europeia para a Inovação, Investigação, Cultura,
Educação e Juventude;

Margaritis Schinas, Vice Presidente Comissão Europeia

Graça Fonseca, Ministra da Cultura.

10:30

Sessão 1: Que novidades há no novo Europa Criativa 2021-2027?

Esta primeira sessão fará uma ampla apresentação do novo Programa, as suas prioridades, inovações e visão para o novo ciclo. Irá explorar como o programa Europa Criativa foi modernizado para melhor equipar os setores culturais e criativos, para enfrentar os desafios atuais e continuar a permitir que organizações culturais e criativas, e os seus  profissionais, co-criem e cooperem além-fronteiras, para alcançar públicos mais vastos, abordar questões sociais atuais, e apoiar artistas emergentes e novas tecnologias.

Lucia Recalde, Chefe de Unidade da Direção-Geral das Redes de Comunicação,
Conteúdos e Tecnologias, da Comissão Europeia

Barbara Gessler, Chefe de Unidade da Direção-Geral da Educação, Juventude,
Desporto e Cultura, da Comissão Europeia.

11:00

Concerto de Bia Maria

11:30

Painel 1: A nova abordagem setorial para a música

As ações preparatórias Music Moves Europe (MME) abriram caminho para a nova abordagem setorial da música no programa 2021-2027 Europa Criativa.
Este painel discutirá as lições aprendidas com a implementação dessas ações e irá explorar como elas se traduzem, na prática, no novo programa e no novo paradigma que enfrentamos na era pós-pandemia; os resultados do European Music Export Study e do Music Moves Europe Talent Awards;


Moderador: Nuno Saraiva, Presidente da AMAEI e Diretor-Executivo da WHY Portugal.

Susanne Hollmann, Coordenador de Equipa da DG de Educação e Cultura da Comissão Europeia;

Corinne Sadki, Chefe dos Assuntos Europeus e Igualdade de Género do Centre National de la Musique e Presidente do European Music Exporters Exchange;

Ruud Berends, Chefe da Conferência ESNS & ETEP, e fundador e CEO da Networking Music;

Helen Smith, Presidente Executiva da Impala;

Rui Torrinha, Programador cultural d’A Oficina CIPRL e Diretor do Festival do Westway LAB.

13:30

Painel 2: Alcançar a sustentabilidade ambiental na indústria audiovisual europeia

Sensibilizar para as questões ecológicas na indústria cinematográfica e audiovisual é um dos maiores desafios do futuro próximo, numa altura em que tornar a indústria mais verde é uma prioridade transversal de todas as políticas da Comissão e, em particular, do Plano de Ação para os Meios de Comunicação e o Audiovisual. A discussão sobre esses objetivos de política pode ajudar ainda mais a sua implementação. É urgente discutir soluções, metodologias e modelos que melhor servem para tornar as obras europeias mais ecológicas. Esta sessão terá como foco a identificação dos principais desafios que o setor enfrenta, e o intercâmbio de experiências e boas práticas, com vista a dar origem a soluções eficazes, bem como promover a cooperação e colaboração dos envolvidos nesta matéria.


Moderador: Luís Chaby Vaz, Presidente do ICA e Presidente dos EFADs.

Maria Silvia Gatta, Direção-Geral das Redes de Comunicação, Conteúdos e Tecnologias Comissão Europeia;

Susanne Nikoltchev, Observatório Europeu do Audiovisual;

Tim Wagendorp, coordenador de sustentabilidade do Flanders Audiovisual Fund e presidente do EFAD WG Sustainability;

Charlotte Appelgren, Secretária-Geral do Cine-Regio;

Manuel Claro, Portugal Film Commissioner.

15:00

Pausa para café

16:30 - 16:45

Painel 3: Projetos de elevado impacto

O painel dará uma visão sobre projetos de elevado impacto que foram financiados pelo programa Europa Criativa e que se aproximam da visão e dos objetivos do atual ciclo, tendo inspirado a sua construção.


Moderadora: Susana Costa Pereira, Coordenadora Executiva do Portuguese Creative Europe Desk.


Nuno Ricou Salgado, Parallel - European Photo Based Platform;

João Paulo Proença, Read On Portugal;

Nuno Correia, Moving Digits;

Luisa Santos e Ana Fabíola Maurício, 4Cs; CinEd 2.0 - European Cinema Education for Youth

Rui Machado, CinEd 2.0 - European Cinema Education for Youth

José Amaral, Série “Água Seca” - SPi.

16:45 - 18:15

Registo e café de boas-vindas

9:00

Painel 4: Mobilidade e sustentabilidade: futuros desafios para as artes performativas

A pandemia fez sobressair alguns dos pontos de pressão que já eram sentidos de forma aguda nas artes performativas: como garantir que a mobilidade artística e os modos de tournée, produção e apresentação sejam compatíveis com os objetivos de sustentabilidade ambiental e social? Este painel abordará a mobilidade de artistas e profissionais culturais à luz da emergência climática e da necessidade geral de reavaliar a colaboração artística internacional. Faremos um balanço das iniciativas atuais e reuniremos uma variedade de vozes para discutir os desafios concretos que se avizinham, tais como as contribuições da Perform Europe e da European Theatre Convention, as contribuições em vídeo de vários artistas e profissionais da cultura, e os comentários de agentes e especialistas culturais.


Moderadora: Vânia Rodrigues, gestora cultural independente e investigadora.

Heidi Wiley, Diretora-Executiva da European Theatre Convention;

Serge Rangoni, Diretor Artístico do Théâtre de Liège e Presidente do ETC;

Ása Richardsdóttir, Secretária-Geral IETM, International Network for Contemporary Performing Arts e presidente da Perform Europe;

Elena Polivtseva, Head of Policy and Research at IETM, Rede Internacional de Artes Performativas Contemporâneas e gestora de projeto da Perform Europe;

Cristina Farinha, especialista independente em programas de mobilidade internacional na área da Cultura;

Américo Rodrigues, Diretor-Geral das Artes de Portugal.

Contribuições em vídeo de: Bruno Costa, Carlos Costa, Dori Nigro, Inês Barahona e Miguel Fragata, Jesse James, Vera Mantero.

9:30

Pausa para café

11:00 - 11:15

Sessão 2: Financiamento europeu para a cultura - como tirar partido das sinergias entre os programas da UE?

Uma das pedras angulares desta novo programa do Europa Criativa é a sua articulação com os demais fundos europeus de apoio à cultura. Esta sessão irá promover uma discussão estratégica sobre como explorar sinergias e complementaridades entre os vários programas que financiam os sectores cultural e criativo. A aparente fragmentação do financiamento da cultura será substituída pela análise do financiamento da cultura como um todo.


Moderador: Francisco Cipriano, Angariação de fundos na Fundação Calouste Gulbenkian e especialista em financiamento da UE.

Maciej Hofman, Comissão Europeia; e especialistas da Horizon Europe, Erasmus+ e Fundos Estruturais;

Laurent de Mercey, especialista na DG de Política Regional e Urbana da Comissão Europeia;

Harald Hartung, Chefe de Unidade na DG de Investigação e da Inovação da Comissão Europeia;

Rui Inácio, Diretor da Unidade de Política Regional, Agência Nacional para a Coesão e o Desenvolvimento;

Cláudia Gomes, Agência Nacional Erasmus+

11:15 - 12:45

Observações finais / discussões de encerramento

12:45
ic_fluent_arrow_reply_24_filledCreated with Sketch.
Voltar
Oradores

Ana Patrícia Carvalho

Ana Patrícia Carvalho, jornalista. Licenciada em Ciências da Comunicação, docente no ISEG e ETIC. É jornalista e pivot da SIC notícias.

Ana Paula Zacarias

Ana Paula Zacarias, antropóloga, Secretária de Estado dos Assuntos Europeus do XXI Governo Constitucional.

Sabina Verheyen

Sabina Verheyen, arquiteta e membro do partido alemão CDU. É atualmente Membro do Parlamento Europeu e presidente da Comissão da Cultura e Educação.

Thierry Breton

Thierry Breton, empresário, antigo Professor da Harvard Business School. Atual Comissário Europeu para o Mercado Interno.

Mariya Ivanova Gabriel

Mariya Ivanova Gabriel, política búlgara e membro do partido político GERB, atual Comissária Europeia para a Inovação, Investigação, Cultura, Educação e Juventude desde 2019.

Margaritis Schinas

Margaritis Schinas é um político grego e antigo funcionário público. Tomou posse em dezembro de 2019 como vice-presidente na Comissão Von der Leyen e é Comissário Europeu para a Promoção do Estilo de Vida Europeu.

Graça Maria da Fonseca Caetano

Graça Maria da Fonseca Caetano, socióloga, deputada eleita à Assembleia da República na XIII Legislatura e Ministra da Cultura no XXI Governo Constitucional.

Lucia Recalde

Lucia Recalde Langarica é Chefe de Unidade da Direção-Geral das Redes de Comunicação, Conteúdos e Tecnologias, da Comissão Europeia. Antes disso, fez parte da direcção da DG de Educação e Cultura (EAC) como Chefe da Unidade de Ensino Superior, Inovação, Empreendedorismo e do EIT (Instituto Europeu de Inovação e Tecnologia). Lucia Recalde entrou para a Comissão Europeia em 1995 e até 2006 desempenhou vários cargos na DG Emprego, Assuntos Sociais e Inclusão. Começou a sua carreira na Direcção dos Assuntos Europeus do Governo Basco.

Barbara Gessler

Barbara Gessler trabalhou no Parlamento Europeu para um MPE antes de entrar para a Comissão Europeia em 1994. Começou na Direção-Geral da Unidade de Políticas Audiovisuais , depois mudou para Políticas Ambientais em 1996. De 1998 até 2003, trabalhou na representação da Comissão Europeia em Berlim. Durante o seu ano de licença pessoal 2003-2004, aconselhou a organização Umbrella, organização cultural alemã Deutscher Kulturrat sobre assuntos europeus. Tornou-se então Chefe da Representação Regional da Comissão em Bonn. Em 2009, regressou a Bruxelas como Chefe da Unidade de Imprensa do Comité Económico e Social Europeu. De meados de 2011 até 2016, dirigiu a Unidade de Cultura na Agência Executiva da Educação, Audiovisual e Cultura que implementa os programas de financiamento da UE nestas áreas. Desde 2017, é responsável pelo subprograma Cultura na Direcção-Geral da Educação, Juventude, Desporto e Cultura.

Susanne Hollmann

Susanne Hollmann, nascida na Alemanha, estudou em Gießen, e Montpellier e passou a maior parte da sua vida profissional em Bruxelas. Tem um Diploma em economia e línguas romanas. Começou a sua carreira profissional em 1994 com a Organização Internacional para as Migrações, antes de trabalhar para os Parceiros Europeus da Segurança Social. Em 2001, entrou para a Comissão Europeia. Durante os primeiros anos, coordenou as relações comerciais internacionais; em 2004 entrou para a Direcção-Geral da Educação e Cultura, onde pôde combinar os seus interesses profissionais com os seus interesses pessoais. Hoje, como Chefe Adjunta da Unidade de Política Cultural, lidera o trabalho sobre Music Moves Europe.

Nuno Saraiva

Nuno Saraiva é Diretor Executivo do WHY Portugal, o Gabinete de Exportação de Música de Portugal, Membro da Direção da EMEE – European Music Exporters Exchange. WHY Portugal liderou várias missões de exportação, incluindo Portugal como país em foco no Eurosonic 2017, Waves 2018, e MMVV – Mercat de Musica Viva de Vic em 2019. As missões WHY Portugal produziram um retorno do investimento de 1 para 9, com mais de um milhão de euros em exportação só no seu primeiro ano de operações. Nada disso seria possível sem a criação do principal festival de música de Portugal, Westway LAB, em Guimarães, em 2014, que Saraiva co-fundou com Rui Torrinha. Westway LAB foi o primeiro festival português a aderir proactivamente ao ETEP – European Talent Exchange Programme e a participar anualmente no Eurosonic. Também Director fundador da Editora Lusitanian Music Publishing, em Lisboa, Saraiva iniciou a sua experiência de mais de 20 anos na indústria musical no Canadá, onde abriu o seu primeiro selo e editora em 1995. Do Canadá para o Reino Unido e de regresso a Portugal em 2008, Saraiva é o Presidente fundador da AMAEI, a Associação Comercial Portuguesa de Música Independente, que começou em 2012, juntando-se à WIN – World Independent Network e tornando-se também membro do Conselho de Administração da IMPALA, a Associação Europeia de Empresas Musicais. O seu pensamento estratégico e planeamento está centrado no desenvolvimento e profissionalização de todo o sector musical português, com base numa perspetiva internacional e nas melhores práticas de gestão de projetos.

Rui Torrinha

Rui Torrinha é programador cultural na área das artes performativas d’A Oficina, cuja manifestação visível se dá no Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães. É diretor/programador dos festivais: GUIdance (dança), Westway LAB (música) e Gil Vicente (teatro). Acumula responsabilidade de gestão de projetos europeus (INES e AEROWAVES) e outras colaborações (Bolsa Amélia Rey Colaço). Participa no desenho do plano de apoio à criação através das coproduções e residências artísticas que se realizam no Centro de Criação de Candoso. Foi elemento da equipa de programadores na Guimarães 2012, Capital Europeia da Cultura (CEC2012) para a área da música.

Corinne Sadki

Corinne Sadki, Com mais de 30 anos de experiência na indústria musical, Corinne Sadki iniciou a sua carreira em produtoras (EMI, BMG, Sony Music), adquirindo uma vasta experiência de marketing no ramo da música. Em 2016, juntou-se ao Le Bureau Export, como Directora de Estudos, Comunicação e Desenvolvimento Digital, para apoiar os profissionais da música no desenvolvimento das carreiras dos artistas a nível internacional. Em 2017, envolveu-se em questões europeias, assumindo a presidência da EMEE e apoiou o desenvolvimento internacional da música a nível europeu, liderando o grupo responsável pelo “Estudo para uma estratégia de exportação musical europeia” para a Comissão Europeia. No âmbito da CNM, tornou-se conselheira responsável pelos assuntos europeus e igualdade de género, para apoiar os profissionais franceses em questões europeias, continuar a defender o lugar da música como um forte valor e ecossistema europeu e a desenvolver ferramentas para promover um acesso igualitário de mulheres e homens na música.

Ruud Berends

Ruud Berends, Co-fundador da Agência Paperclip em Nijmegen, Ruud foi durante vários anos também o diretor desta agência, com a missão de descobrir e encorajar o talento, incluindo a nível internacional. Como tal, coordenou digressões europeias e internacionais de artistas colaboradores, bem como toda a produção ou orçamentos atribuídos. Em 2001 começou a colaborar com a Networking Music, uma das entidades mais importantes da indústria musical internacional ao vivo. É consultor do PSB para a Buma Cultuur – um programa do governo holandês para o desenvolvimento de países mais recentes em redes de exportação cultural. Tem sido um especialista na Eurosonic Noorderslag, uma prestigiada rede de marketing internacional, trabalhou em vendas, e assumiu agora o papel de coordenador de conferências e consultor de várias empresas e eventos internacionais, incluindo Where’s The Music? (Norrkoping, Suécia). Ruud é também co-proprietário e co-fundador do Fórum Internacional do Festival – IFF (Londres, Reino Unido).

Helen Smith

Helen Smith é a Presidente Executiva da IMPALA. De origem escocesa, Helen está sediada em Bruxelas. Ela coordena as principais estratégias da organização com a direção a um nível político, comercial e promocional. Foi também, durante quatro anos, co-directora administrativa da KEA European Affairs. É licenciada em Direito pela Universidade de Strathclyde e tem um mestrado em Estudos Europeus pela Universidade de Amesterdão.

Luís Chaby Vaz

Luís Chaby Vaz, é o Presidente do Conselho de Administração do Instituto de Cinema e Audiovisual de Portugal desde Junho de 2017 e é também o Presidente da EFADs. Iniciou a sua atividade profissional em 1993 como advogado antes de entrar no sector cultural, onde ocupou vários cargos de gestão pública. Também trabalhou na indústria da Publicidade e no sector do pós-produção cinematográfica como CEO da Tobis. Foi conselheiro cultural da Embaixada de Portugal em Espanha entre 2010 e 2013. Trabalhou ainda numa empresa de capital de risco e como consultor privado.

Maria Silvia

Maria Silvia juntou-se ao programa MEDIA em 2003, encarregada da avaliação do MEDIA+ e do apoio à Distribuição. A partir de 2019, após um período no estrangeiro em que tratou de questões políticas para a Comissão Europeia nos Países Baixos, ela supervisiona a implementação do Programa Creative MEDIA 2021-2027 e acompanha a política europeia para o património cinematográfico.

Susanne Nikoltchev

Susanne Nikoltchev assumiu o cargo de Diretora Executiva do Observatório Europeu do Audiovisual em julho de 2013. Anteriormente, tinha sido Chefe do Departamento de Informação Jurídica do Observatório e editora-chefe de todas as suas publicações jurídicas (desde 1998). Exerceu advocacia nas áreas de comunicação social, telecomunicações, comércio internacional e concorrência da EU, associada ao escritório americano de advocacia Covington & Burling (1995-1998). Como membro da Ordem dos Advogados da Alemanha e de Washington DC, trabalhou em escritório particular na Alemanha, Estados Unidos e Bélgica, dando especial destaque a questões do audiovisual no plano internacional e europeu, bem como a nível nacional. O seu primeiro diploma em Direito foi obtido na Universidade de Heidelberg, em 1988, seguido por mestrado no Instituto Universitário Europeu em Florença (grau “Master of Laws” em Direito Europeu e Comparado, 1989) e na Universidade de Michigan (grau “Master of Laws” em direito americano, 1994) e doutoramento em direito (estudos jurídicos comparados, tese publicada em 1997) pela University of Trier (1996). Foi aprovada com distinção no segundo exame estatal alemão em direito em Baden-Württemberg (1993).

Tim Wagendrop

Tim Wagendrop, tendo um passado ambiental, sente-se de algum modo atípico no sector audiovisual”. Depois de trabalhar como cientista ambiental e especialista em políticas para uma federação de empresas de reutilização, Tim Wagendorp tem sido o coordenador de sustentabilidade na VAF desde Março de 2017. “O meu foco principal é nas produções cinematográficas e mediáticas apoiadas pelo VAF, mas também sensibilizo outras áreas relacionadas com o VAF, como em cinemas físicos, durante o processo de escrita de argumento, jogos, animação e na educação. Utilizamos os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável como uma bússola moral para o nosso trabalho. Trocamos os nossos conhecimentos tanto quanto possível e desempenhamos um papel ativo dentro do Ecrã Verde (e EURECA), Cineregio e EFAD.

Charlotte Appelgren

Charlotte Appelgren, Secretária-Geral da Cine-Regio desde Março de 2006, estudou gestão nos EUA, Irlanda e Singapura, tem um Mestrado em Ciências/Artes (cand.negot) da SDU na Dinamarca. Charlotte trabalhou anteriormente como Executiva Internacional com a Merlin Films, Irlanda; Consultora/Coordenadora na MEDIA Desk Dinamarca; Gestora do Festival para o Instituto de Cinema Dinamarquês; e em duas empresas de produção dinamarquesa. Autora de The Fine Art of Co-producing (2002, 2007, 2010). Revisora no Palgrave UK (2014); investigadora/contribuidora sobre os relatórios Mecanismos de financiamento de filmes estimulando o investimento privado em filmes dinamarqueses + O Potencial de Crescimento Económico e Criativo da Indústria Dinamarquesa de Jogos. Autora do livro European Film and Television Co-production: Policy & Practice (Palgrave, 2019).

Manuel Claro

Manuel Claro, atual Film Commissioner na Portugal Film Commission. Foi coordenador Executivo no Creative Europe Desk Portugal e responsável pelo Subprograma MEDIA; Coordenador Executivo do MEDIA Desk Portugal; Assessor da Direção Municipal de Cultura da Câmara Municipal de Lisboa, afeto à Videoteca Municipal de Lisboa; Assessor do Vereador da Cultura e dos Recursos Humanos da Câmara Municipal de Lisboa. Licenciado em Ciência Política e Relações Internacionais pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa; Pós-graduação em Práticas Culturais para Municípios pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

Susana Costa Pereira

Susana Costa Pereira é desde Junho 2019: Coordenadora Executiva do Centro de Informação Europa Criativa e Responsável pelo Subprograma MEDIA Anteriormente: Responsável pelo Subprograma Cultura do Programa Europa Criativa 2014-2020; Ponto de Contacto Cultural no Programa Cultura da União Europeia 2007-2013; Consultora na IGAC – Inspecção-Geral das Actividades Culturais (Direito de Autor e Modernização Administrativa); Directora de Projectos e Clientes na MasterLink, Sistemas de Informação; Directora de Área de Negócio Online e Direcção de Marketing no Grupo Media Capital (Expansão Económica); Técnica Superior no Instituto de Cinema, Audiovisual e Multimédia (Promoção Internacional e Modernização Administrativa); Iniciativa Mosaico, Gabinete do Ministro da Cultura. Account Senior na agência de comunicação IPSIS, Comunicação e Imagem. Licenciatura em Ciências da Comunicação, pela Universidade Nova de Lisboa, FCSH

Rui Machado

Rui Machado é Subdiretor da Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema, com a acumulação de Diretor do Arquivo Nacional das Imagens em Movimento, com a chefia, coordenação e controlo de todo o trabalho interno necessário para atingir todos os objetivos que este departamento da Cinemateca pretende cumprir – a salvaguarda e conservação do património cinematográfico nacional ou, mais genericamente, das imagens em movimento.

Nuno Ricou Salgado

Nuno Ricou Salgado nasceu em 1968 no Bairro Alto e cresceu no Rio de Janeiro. Começou a trabalhar no Chapitô nos anos 90. Durante 16 anos fotografou e filmou a vida deste projecto, programou e produziu diversas actividades e fez a direcção de produção da Companhia do Chapitô. Entre 1997 e 2013, produziu vários espetáculos teatrais com encenação de Francisco Salgado. Foi Diretor de Produção do “Doclisboa” (2004) e do “Doc’s Kingdom” (2005). Em 2005 participou na criação da Procur.arte Associação Cultural onde tem produzido e/ou assumido a direcção artística de vários projectos: “Pisa-Papéis“ (2004/11); “FORMAS” (2008/11); a Ópera “Crioulo” no CCB (2009); “Entre Margens”, projecto de arte pública desenvolvido no Douro (2010/13); “Flâneur”, projecto europeu de arte pública em 14 países e apoiado pelo Europa Criativa. (2015/16); “Parallel Platform”, projecto de fotografia contemporânea com 16 países e apoiado pelo Europa Criativa (2017/21). Tirou o “Mestrado de Produção Teatral” (2011/14) e em 2013 recebeu o “Prémio Natércia Campos para Melhor Produtor Português”.

José Amaral

José Amaral tem mais de 20 anos de experiência na área de produção e é desde a sua criação, Managing Director da SPi, produtora vocacionada para o desenvolvimento e produção de projetos para o mercado internacional com especial enfoque em modelos de coprodução. Enquanto Produtor Executivo, José tem desenvolvido vários projetos para o mercado internacional, nomeadamente a série Glória, a primeira série original portuguesa para a plataforma Netflix, a série “Auga Seca I” e “Auga Seca II” para a plataforma HBO, RTP e Televisão da Galiza, o documentário “A Mais Longa Jornada” para a RTP, TVE e ETB e mais recentemente a série “Chegar a Casa” que junta a RTP e a Televisão da Galiza. José é ainda professor universitário na Escola Superior de Comunicação Social onde leciona a cadeira Gestão de Empresas Audiovisual e Multimédia e Gestão de Projetos na Licenciatura Audiovisual e Multimedia.

Nuno N. Correia

Nuno N. Correia é Professor de Comunicação Digital na Universidade de Greenwich. Desde 2000, tem lecionado e desenvolvido trabalhos de investigação em arte dos media e design interativo, em várias universidades internacionais (tais como Aalto U., Goldsmiths U. London, U. Madeira). Tem liderado vários projectos de investigação que combinam som, imagem e design de interação: Moving Digits: Augmented Dance for Engaged Audience (EU Creative Europe, 2018-20), Enabling Audiovisual User Interfaces for Multisensorial Interaction (EU Marie Skłodowska-Curie Individual Fellowship, 2014-16) e Audiovisual Vector Exchange (Aalto Media Factory, 2013-2014). Nuno é doutorado em Novos Media pela Universidade de Aalto (Finlândia), com a tese “Objectos Audiovisuais Interativos” (2013). Anteriormente, foi Designer Interactivo Sénior na Fjord. Nuno publicou quase 50 artigos submetidos a revisão por pares, em conferências tais como CHI, TEI, NIME e Audio Mostly. Fundou o Sound, Image and Interaction Design Symposium (SIIDS). É membro da Royal Society of Arts (UK).

João Paulo da Silva Proença

João Paulo da Silva Proença, mestre em Gestão da Informação e Bibliotecas Escolares com a dissertação: “Biblioteca Escolar e Web 2.0 – Questões em torno de algumas práticas em implementação e perceção do impacto no trabalho da Biblioteca” pela Universidade Aberta acessível em: https://repositorioaberto.uab.pt/handle/10400.2/2149 Licenciatura em ensino da Disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica pela Universidade Católica de Lisboa Coordenador Interconcelhio para as Bibliotecas Escolares para os concelhos de Almada e Seixal desde 2011 Formador de professores, desde 2001, na área das Bibliotecas Escolares, TIC e Inovação Educacional. Participou e coordenou a nível nacional e desde 2001, vários projetos Europeus (Programas Comenius, Erasmus+ e Creative Europe ) nomeadamente o projeto Europeu READ ON. Recentemente tem desenvolvido investigação na área da promoção, marketing e advocacy para as Bibliotecas. Membro da equipa coordenadora do Grupo de Trabalho das Bibliotecas Escolares da BAD, Associação profissional.

Luísa Santos

Luísa Santos, Doutorada em Culture Studies pela Humboldt & Viadrina School of Governance, em Berlim, e Mestre em Curating Contemporary Art pela Royal College of Art, em Londres, é desde 2019 Investigadora Auxiliar em Estudos de Cultura vertente de Estudos Artísticos. Entre 2016 e 2019 foi Professora Auxiliar, com uma Gulbenkian Professorship, na Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa. É research fellow da The European School of Governance (EUSG), em Berlim, desde 2019. Em 2013 foi investigadora na Konstfack, em Estocolmo. Investigadora do CECC, coordena atualmente o projeto 4Cs: from Conflict to Conviviality through Creativity and Culture. É membro do conselho editorial das revistas Estúdio, Gama, Croma e do Yearbook of Moving Image Studies (YoMIS – Research Group Moving Image Kiel), Büchner-Verlag. Colaboradora científica no projecto Arts-based participatory research approach: Potential for exploring Asian-Canadian youth identities through an intersectionality lens, coordenado pela York University. As suas principais áreas de investigação são arte contemporânea e sistemas sociais. É autora de várias publicações sobre arte e sociedade.

Ana Fabíola Maurício

Ana Fabíola Maurício é Chefe do Gabinete de Investigação e Inovação da Universidade Católica Portuguesa (UCP). Gestora de Projecto e Investigadora do “4Cs – From Conflict to Conviviality through Creativity and culture”, um projecto de cooperação co-financiado pela Creative Europe. Investigadora Sénior do Centro de Investigação para a Comunicação e a Cultura. Co-fundadora e co-curadora do projecto independente “nanogaleria”. Possui um doutoramento de duplo grau (2016) em Estudos Culturais pelo Consórcio de Lisboa (FCH-UCP) e em Estudos Literários e Culturais pelo Centro de Pós-Graduação para o Estudo da Cultura (JLU-Giessen, Alemanha), um mestrado em Estudos dos Media, especializado em Gestão Cultural e Comunicação (2010, FCH-UCP), e uma licenciatura em Línguas Estrangeiras Aplicadas em Inglês e Francês (2007, FCH-UCP).

Vânia Rodrigues

Vânia Rodrigues, Gestora Cultural e investigadora. Colabora com diversos projectos e organizações nacionais e internacionais como consultora nas áreas de gestão cultural, financiamento e estratégia, e políticas culturais. Entre 2013 e 2018 foi responsável pela gestão, co-programação e circulação internacional da companhia de teatro mala voadora. Mestre em Cultural Policy and Management pela City University of London. Prepara actualmente tese de doutoramento em Estudos Artísticos na Univ. de Coimbra. Publicou recentemente “AS PRODUTORAS – Produção e Gestão Cultural em Portugal. Trajectos Profissionais (1990-2019)” (Editora Caleidoscópio).

Américo Rodrigues

Américo Rodrigues, Diretor da DGARTES desde fevereiro de 2019. Licenciado em Língua e Cultura Portuguesas pela Universidade da Beira Interior e Mestre em Ciências da Fala pela Universidade de Aveiro com uma tese sobre “As emoções na fala”. Exerceu funções de animador e programador cultural na Casa de Cultura da Juventude da Guarda/FAOJ (1979-1989) e na Câmara Municipal da Guarda (1989-2005), tendo sido Diretor do Teatro Municipal da Guarda (2005-2013) e Coordenador da Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço (2015-2018). Foi um dos fundadores do coletivo Aquilo Teatro, da Associação Luzlinar e do Calafrio, Associação Cultural / Teatro do CalaFrio. Coordenou os cadernos de poesia Aquilo (1982-1997) e foi co-director da revista Boca de Incêndio (2004-2006), entre outras publicações. Em 2011 recebeu a medalha de mérito cultural atribuída pelo Ministério da Cultura de Portugal. É poeta, ator, encenador, performer (na área da poesia sonora) e programador cultural.

Cristina Farinha

Cristina Farinha, especialista independente do setor cultural e criativo, com experiência de trabalho do nível local e regional ao internacional, na conceção, implementação e avaliação de políticas, programas, projetos e organizações. É investigadora colaboradora do Instituto de Sociologia da Universidade do Porto. Tem lecionado e participado em várias discussões públicas, cursos, conferências e formações diversas na Europa, EUA, África e Médio Oriente. As suas áreas de interesse são o fortalecimento do papel da cultura na governação e desenvolvimento; a promoção da cooperação e mobilidade internacionais; e a promoção da capacitação e representação coletiva do setor cultural e criativo. O seu Doutoramento em Sociologia analisou a mobilidade nas artes performativas na Europa. Desde 2011 é avaliadora externa da Comissão Europeia para os programas Europa Criativa, Erasmus+ e H2020. Atualmente faz parte da Direção do Fundo Roberto Cimetta para a mobilidade cultural no Mediterrâneo. Colabora como correspondente nacional com o projeto Perform Europe liderado pela IETM.

Francisco Cipriano

Francisco Cipriano, nascido a 20 de maio de 1969, tem grau de mestre em Geografia e Planeamento Regional e Local. A sua vida profissional está ligada à gestão dos fundos comunitários em Portugal e a projetos de cooperação internacional, na Administração Pública Portuguesa, na Comissão Europeia e atualmente na Fundação Calouste Gulbenkian. É ainda o impulsionador do projeto Laboratório de Candidaturas, Fundos Europeus para a Arte, Cultura e Criatividade, um espaço de confluência de ideias e pessoas em torno das principais iniciativas de financiamento europeu para o setor cultural. Para além disso é um homem de muitas atividades. Publicidade, escrita, fotografia, viagens. Apaixonado pelo surf vê nas ondas a sua forma de libertação e um momento único de harmonia entre o homem e a natureza. É coautor do primeiro guia nacional de surf, Portugal Surf Guide , host no documentário Movement, a journey into Creative Lives e pronto para vos receber na sua The Minimal House

Rui Inácio

Rui Inácio, nascido a 22 de dezembro de 1983, é licenciado em Relações Internacionais e é Diretor da unidade de Política Regional na Agência para o Desenvolvimento e Coesão, IP – AD&C desde 2019. De 2015 a 2018, foi conselheiro do Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, e antes disso coordenador da Unidade de Monitorização na Agência para o Desenvolvimento e Coesão, IP – AD&C. Acompanhou também os trabalhos de negociação entre a Comissão Europeia e os Estados -Membros relativa à revisão da política de coesão, 2014 -2020, tendo apoiado a participação nacional nas reuniões do Conselho da União Europeia — Grupo de Ações Estruturais e participado em diversas reuniões de peritos nacionais sobre a regulamentação comunitária da Política de Coesão para o período 2014 -2020.

Laurent de Mercey

Laurent de Mercey, é atualmente especialista na Direção-Geral de Política Regional e Urbana da Comissão Europeia. Conta com experiência como Delegado regional de pesquisa e tecnologia no Ministério do Ensino Superior e Investigação, como Conselheiro de Análise estratégica e prospetiva, no Ministério da economia, das finanças e da indústria. É licenciado e engenheiro pela École Polytechnique, completou ainda estudos na Télécom Paris e IHEST.

Harald Hartung

Harald Hartung chefia a unidade “Fair Society & Cultural Heritage” e é responsável pela investigação SSH na DG Investigação e Inovação. Durante o tempo em que esteve na DG Educação e Cultura, ocupou vários cargos de chefia, responsáveis pela cidadania, política e programação cultural, pelo multilinguismo, pelas cátedras Jean Monnet, pelo Instituto Universitário Europeu de Florença, Política da Juventude da UE e Instituto Europeu de Tecnologia. Antes da Comissão Europeia, Hartung trabalhou no secretariado da EFTA e no departamento internacional da Federation of Austrian Industrialists. Hartung possui um mestrado em história e uma pós-graduação em direito internacional e economia da Universidade de Viena.

Maciej Hofman

Maciej Hofman trabalha em Bruxelas, desde 2015, como Policy Officer na Comissão Europeia. É responsável pela gestão de iniciativas relacionadas com o papel da cultura nas cidades e regiões, acesso à cultura através de meios digitais, bem como apoio aos sectores culturais e criativos e financiamento da UE para a cultura. Antes disso, trabalhou no Ministério da Cultura e do Património Nacional polaco, nos escritórios do British Council em Varsóvia e Paris, numa start-up de e-learning francesa e como editor e tradutor freelance para ONG culturais, festivais de cinema e projectos digitais. Maciej estudou no Colégio da Europa e na Universidade de Varsóvia, como também estudou na Sorbonne Nouvelle Paris III.

Cláudia Gomes

Cláudia Gomes, Agência Nacional Erasmus+ Educação e Formação. Na agência, Cláudia pertence à Equipa de Monitorização e Avaliação e, também, ao grupo de trabalho de sinergias e complementaridades entre o programa ERASMUS+ e outros programas e fundos, encontrando estratégias para gerar o máximo de vantagens para os beneficiários e projectos.

ic_fluent_arrow_reply_24_filledCreated with Sketch.
Voltar
Participar